Transferência de Embriões (TE)

A transferência de embriões é a técnica de reprodução assistida que visa retirar o embrião de uma égua doadora, previamente inseminada com o garanhão da preferência do proprietário, para que este seja transferido para uma égua  com boa qualidade uterina e boa habilidade materna, denominada de receptora.

O embrião é coletado após uma lavagem uterina. Um cateter de silicone é alojado no útero, através deste cateter (sonda) um volume de 1/2 a 1 litro de solução é depositado no interior do útero. A solução é então drenada passando por um filtro que retem o embrião.

O embrião é localizado na placa com o auxilio de uma lupa e transferido para uma outra placa contendo solução de manutenção. Nesta última placa permanece até ser transferido, em algumas horas, para o útero da égua receptora onde irá se desenvolver.

A idade mínima para se inscrever uma égua doadora no programa de Transferência de embrião é a partir dos 2 anos de idade, desde que haja um bom desenvolvimento repordutivo. A plenitude é alcançada aos 4 anos.

A técnica de Transferência de Embrião tras inúmeras vantagens para a égua doadora:

•  Em uma reprodutora de alto valor genético,  com a técnica de transferência de embrião, é possivel se ter mais de um produto por ano, inclusive com garanhões diferentes.

 •   Quando participa de competições, não necessitando parar a campanha nas pistas para ingressar na reprodução.

•   Quando apresenta idade avançada, onde há maior propensão a ter problemas para criar um potro saudável.

•   Quando apresenta problemas de locomoção, onde pode ocorrer piora do quadro com ganho de peso durante uma gestação.

•   Quando aprenta problemas no aparelho reprodutor, que torna a gestação de alto risco